Patricia Stanquevisch

Malévola, Dona do Mal

31/03/2021

Patricia Stanquevisch

Patricia Stanquevisch

Malévola, Dona do Mal

Quando assisti Malévola 1, achei tão, mas tão incrível!!! Não podia imaginar que poderiam fazer algo além dele. Até eu ver o Malévola 2, Dona do Mal.

O que nos faz definir ? Os bons, os certos, os de sucesso, os maus, os errados, os fracassados.

Tenho estado há muitos anos neste Planeta e dizem que aprendemos a ser isso por 4 trilhões de anos. Estou achando que isso é só uma canção de ninar para que, as pessoas sejam condescendentes com elas mesmas.

Mesmo se tivermos sido hipnotizados, dominados, ensinados, você escolhe o que vai fazer com isso. Eu não consigo ver você ou qualquer pessoa menos do que são.

Na Malévola, isso é tão perfeito!! Uma louca acha que vai acabar com os seres das trevas. Uma louca, egóica e psicopata escolhe que vai criar um mundo que ela definiu ser melhor. Daí tudo que não combina com este mundo dela, ela destrói.

Tão todo mundo isso!!

Por isso criaram o Big Brother. Para você fazer de conta que tem este poder e destruir a imagem de alguém, só porque esta imagem, atitude ou sei lá o que, não servem para você. Lumenas… Mas a Lumena é pior que você, pois afinal, você está cert@. Mas é só um jogo.

Você vive em Rede. Até decidir que a Rede não serve para você e tenta destruir isso. Como? Julgando. Excluindo. Apertando todos os botões malucos de excluir quem você acha que não serve no seu mundo.

Sorry!! Mas você é a merda da Rainha Louca Psicopata. Cheia de traumas infundados. Cheia de dramas para justificar que você tem é medo da grandeza deste Planeta e do que são os seres incríveis que podem criar mais. Pois afinal você é a RAINHA, mesmo sendo Louca.

E além, está a serviço de um grupo menor de pessoas, que mantém o sistema de tudo funcionando do jeito que eles desejam. A chave é a polaridade.

No entanto, há poucos que estão dispostos a serem a Malévola. Serem eles, reconhecerem que odeiam, que tem uma potência tão impressionante que podem até amar àqueles que odeiam. E desejam criar algo diferente. Uma mudança.

Mas é possível que a mudança seja uma mentira… também, assim como a história de que estamos aqui há 4 trilhões de anos e isso é motivo para você demorar tanto para ser você.

Bla.*

*Bla, do Stanquevischês = Conversa Fiada.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Posts Relacionados

Okja
O filme, pelas palavras de Patrícia Stanquevisch: Eu nem sei...
The Greatest Showman
Quem nunca foi julgado por ser quem se é? O...
O Segredo dos...
Filme argentino, com leve mistério, que nos deixa com vontade...