Diário de Bordo dia 2

Hoje sai logo cedo desta casa momentânea para finalizar meus processos em SP. Meu visto para os EUA teve um problema, me chamaram de novo no consulado e lá fui eu.

Dia fechado, frio. Muita gente na fila. Muita mesmo. E fiquei observando, como sempre. Nestes momentos tento fazer dos minhas horas o melhor possível. Observar a beleza da humanidade. Claro que, quando numa fila imensa, as pessoas não estão dando o seu melhor. :) 

Dei risada com algumas pessoas. Acolhi algumas que estavam estressadas pela demora. Brinquei com uma menininha de dois anos que me adotou como tia. E, a parte principal, convenci o Consul de que não ter emprego não é um sinônimo de não estar fazendo algo na vida que me faça querer fugir para o país dele.  Mostrei as matérias que saíram sobre o Destino Colaborativo. Que em julho havia uma viagem marcada para a Escócia e no final, tudo ficou bem. Autorizaram minha renovação.

Só vou ter que mudar a data do vôo, pq não devolvem o passaporte na hora, mas tudo está bem certo. Porque, incrivelmente, outras possibilidades surgiram. Posso ir dos EUA direto para Findhorn e num valor muito mais acessível. :) <3 Tudo sempre tem um motivo. E por isso tudo está certo exatamente como é.

Passei o dia bem reflexiva, pensando nas pessoas da minha vida. Como não deve ser fácil para elas, também, minhas escolhas. Mas senti confiança de que é um experiência importante para muitas mudanças, não somente minhas.

Tenho um grupo de pessoas me ancorando. De muitas formas e vou entendendo a importância delas neste caminho, todos os dias.

E acho interessante, surgiram pessoas de relacionamentos muito antigos, expressando apoio, mandando e-mail, comentando no blog. Fiquei surpresa com algumas aparições. E, confesso, isso me deu um sentimento muito confortável de estar sendo acompanhada por pessoas que me querem bem.

Hoje, finalizei o processo de mudança. Caixas de livros, cds, anjos, tarôs, lembranças, presentes foram para a casa da minha mãe. 

Nesta hora, bem rapidamente, minha mãe, que me ajudava, se mostrou frágil e preocupada com meu processo. E eu somente pedi a ela que respeitasse, e disse que eu entendo a preocupação de mãe, mas que vou ficar bem. Meu mantra é tudo vai ficar bem, sempre, porque está bem do jeito que é. Não é conformismo, mas aceitação e confiança em algo maior que eu.

Pensei que as pessoas precisam saber que eu tenho Coragem, mas não significa ausência de medo. O medo existe, sim, mas eu não deixo que ele tome conta desta experiência. Ele é importante, inclusive, para que eu fique atenta para a minha sobrevivência.

Esta semana meu processo todo será em BH. Para alguns jogos da transformação e compromissos com pessoas queridas. Talvez, novidades para o Destino Colaborativo. Cada dia parece que "estou" mais do mundo. Mas sinto também que em breve haverá uma mudança nas raízes. Acredito na raiz, que nos dá base para voltar ao centro. É algo que estou entendendo aos poucos e que logo terá uma forma. Aparecerá aqui no Diário de Bordo. 

Hoje, então, fluí conforme o Universo me levou. Cumpri coisas com as quais eu me comprometi. Interagi com pessoas desconhecidas. Tomei um delicioso chocolate quente com minha amiga Carmem Munhoz. Fiz a mudança. E aeroporto, amigos, e friozinho... E já já caminha !!

Amanhã tem mais das Montanhas de Minas !!

<3