TENDO UM CASO COM A DENGUE

Escrito 13 de março de 2015 no facebook;

A dengue me pegou. Chatinha, mas com conteúdo a garota.

Ela me leva às crises de febre alta e baixa. E nas altas, potencializa meu (já conhecido) nível de olhar o mundo com outros olhos. Parece um delírio de uma droga alucinógena, mas é só delírio de febre, neste caso. Normalmente, sou eu, assim mesmo.

Ontem, no meio disso tudo, febre, dor no corpo, cansaço, via gente entrando no grupo do Destino Colaborativo como uma enxurrada. Não estava entendendo se era ilusão ou se era real. Foi engraçado e lindo perceber que era real. Alguém me alertou, "é real e vai crescer". Pensei então: Pq as pessoas se conectaram à iniciativa ? O que está nos levando a este lugar comum da colaboração ? Dentro de mim, a resposta foi que precisamos uns dos outros para viver nossa verdade. Na nova dimensão do planeta não cabe mais a ilusão do aprisionamento,qualquer que ele seja. E não poder se movimentar pelo mundo, pelos sonhos, pela intenção de vida é um aprisionamento. Estar atado a um sistema financeiro, a um sistema de crenças que nos limita a um espaço físico, a um trabalho, relacionamento é um aprisionamento. Mas também é uma escolha. 

Nesta coisa do grupo do Destino, as pessoas foram entrando e se colocando felizes por existir uma forma de realizar um sonho em conjunto. Ir para a Escócia, Bali, Hawaí sem dinheiro, dizem ser impossível. Mas não é. E foi contagiante perceber que existe sim uma mudança de paradigma.

Quais são os obstáculos para que este paradigma não funcione ? Essencialmente o medo. O Medo paralisa e afasta a possibilidade de enxergar o que ? O Campo de possibilidades. Ele é lindo de enorme, cheio de aventuras, abundância. Não é conto de fadas. 

Eu sei que não é... Pq já está acontecendo com o primeiro Destino - Findhorn.  Pessoas colocando seus serviços à disposição para arrecadação, empresas doando parte de suas vendas, a tripulação trabalhando pelo bem comum, criando projetos que beneficiam não somente a eles, mas a todos que estão conectados de alguma forma. E assim estamos crescendo, indo a caminho do possível. 

Neste delírios já tive duas ideias para novos destinos: 1.Destinos na escola, quando nossos filhos precisam viajar para Estudos do Meio. Muito dinheiro envolvido, de forma centralizada, onde não está mais parecendo sustentável. 2. Destinos sem destinos, para pessoas, como eu que estão querendo viver livres no mundo, sem porto fixo, sem nada fixo. Vivendo o mundo como ele é: abrangentemente lindo. E compartilhando a experiência de forma inspiradora.

Dengue, dengue... vc vai ser banida talvez num processo parecido. Quando as pessoas perderem o medo da escassez da água, estarem mais presentes em colaborar pelo bem comum, trabalharem juntas na busca de solução e não na busca de superarem a ideia do outro. Dengue, cuide-se: a colaboração está chegando com tudo. E nem vc que me deixa de cama vai dar conta dela. :)

Ah.... a febre está subindo de novo. Pode ser que eu veja mais coisas boas neste mundo esquisito em que eu vivo.

Conheça os grupos: 

https://www.facebook.com/groups/411927842317655/?fref=ts

https://www.facebook.com/groups/1534875676771182/?fref=ts