A Ardida, como chamamos carinhosamente, nasceu de uma inspiração de Amor. Amor pelos seres humanos, e, neste caso, por uma em especial. Eu decidi colaborar com ela para que saísse da escassez e resolvesse pendências importantes de saúde e com amigos. Isso expandiu e se tornou um empreendimento em rede, com foco nas mulheres em escassez.

Eu acredito num mundo assim. Onde nossos problemas são reais e podem ser solucionados em colaboração. Descobri um lado negro da colaboração, na prática, e depois disso resolvi fazer do meu jeito e seguindo meu coração. Quem vem junto, vem por sua conta e risco. 

Nesta iniciativa, criamos uma geleia especial. De pimenta, com maçã e laranja, mas são mantradas. Com uma intenção da deusa. A cada produção, retiramos uma carta, vemos qual o propósito do lote e trabalhamos com mantras e palavras potentes para que a geleia receba uma vibração especial.

O formato deste empreendimento, chamo de distribuído, pois as tarefas são definidas e cada um faz o que sente que deve fazer. O grande desafio é não ter hierarquia. Alguém que fique dando ordens. Mas também lidar com as regras. Pois uma coisa não anula a outra. Enquanto iniciadora, ainda crio regras para que o propósito seja claro, limpo e íntegro. Quando estiver fluindo, incorporado, deixo de criar regras.

Chamamos de Semeador@s quem vende. Quem semeia a ideia por aí. 

Todos ganham de alguma forma, seguindo as regras de distribuição.

 

Atualmente, esta é uma das minhas contribuições para o Coletivo.

Este vídeo conta como tudo acontece e surgiu. 

 

Venha junt@ neste movimento, se sentir que está num chamado de mudança de emprego, de sair da escassez. De ter seu direito de prosperidade, que é adquirido por todas as almas, garantido.

Imagens By Diana Freixo